domingo, 14 de junho de 2015

Vender?


Vender ou não vender, eis a questão!

Talvez uma das maiores dificuldades dos verdadeiros antigomobilistas, essa dúvida tira o sono de muitos! Pessoalmente não tenho boas lembranças, pois as poucas vendas realizadas viraram arrependimentos quase instantâneos.

A segunda maior dificuldade: onde guardar essas "jóias" cuidadosamente garimpadas e lapidadas, que "parecem" se multiplicar ao longo do tempo? Exceto raras e honrosas exceções, com galpões ou garagens amplas, todos recorrem ao preenchimento das vagas pessoais, aluguel de espaços ou "invasões" nas casas de familiares e amigos.

Os resultados são bem conhecidos: exemplares espalhados, danos por causa de vagas descobertas, impróprias ou garagens comerciais e uma saudosa lembrança dos tempos das miniaturas, quando toda uma coleção poderia caber numa simples prateleira ou, quando muito, numa estante protegida.

Mesmo assim não é fácil abrir mão de um fragmento da história, seja da indústria, do veículo, dos ex-proprietários, da "aventura garimpeira" ou até mesmo pessoal/familiar.

SM 1986, "gema" pronta para lapidação. Foto: Sávio
No auge desse dilema pessoal, após perder a pintura original da Caravan - "despejada" uma primeira vez de vaga alugada - conversei com um grande e saudoso amigo/antigomobilista, que tinha duas características principais: restauração esmerada e personalizada de cada detalhe dos veículos por ele adotados; sistemática venda dos exemplares finalizados, apesar da inexistência de fins lucrativos.


Perguntei-lhe como era possível repassar, com certa tranquilidade, aqueles exemplares que tinham consumido incontáveis horas de trabalho, muita dedicação, alguns aborrecimentos (normalmente com o serviço dos "profissionais") e caça implacável aos detalhes e acabamentos?


Resumindo, os motivos e argumentações dele, que ecoam até hoje: a - dificuldades em guardar e manter; b - oportunidade de investir em novos projetos; c - ampliar o número de resgates e restaurações; d - estimular novos antigomobilistas; e - apostar no desenvolvimento da mão-de-obra local; f - favorecer o intercâmbio de dicas e técnicas; g - renovar constantemente os desafios.



Mas a ideia principal - conclusão minha - era que "a jornada era a verdadeira aventura", muito mais importante do que a "chegada"!

O cuidado e competência, acompanhados de algumas frustrações e muitas vitórias que resultavam em extrema euforia, reforçam essa conclusão. O prazer em recuperar era maior do que o de manter!

Ele defendia a escolha de um ou dois exemplares para preservar e a promoção de uma sistemática rotatividade dos outros. A sua primeira escolha foi a Santa Matilde 1986 conversível, a mesma da abertura da postagem.

SM 86, quase finalizada e sem a capota de fibra.

O segundo modelo escolhido foi o MP 1975, que resgatou "a caminho da sucata"! Acabou não ficando ele por causa daquela clássica situação que, volta e meia, atinge antigomobilistas "imprudentes": cansado das perguntas sobre possíveis preços, "chuta-se um valor impagável" ... até que alguém aceita e deixa o sujeito "sem chão", preso pela palavra!

Fica a dica: a não ser que tenham real intenção de venda, nunca arrisquem "chutar alto" para afastar possível comprador. Melhor responder que sonho não tem preço!


Para quem ainda não identificou, o "consultor" foi Edson Brandão, amigo/irmão e meu mentor no círculo automotivo.

Nosso amigo Sávio compartilhou, recentemente, duas fotos inéditas e memoráveis: a SM no estado e cor do resgate (acima) e Edson com outra grande paixão, as motos. Valeu Sávio!


Confesso ainda ter dificuldade com o apego natural a cada veículo antigo adotado, porém, começo  a assimilar essas importantes lições. Seus ideais ainda estão presentes em nossa garagem!



Vem novidade por aí? 


Talvez uma troca de figurinhas - e prioridades - no quadro de projetos da ZZ Garage.

Aguardem!
    
PS: A Caravan foi despejada uma segunda vez de vaga alugada. Edson sempre defendeu a hipótese de trocar alguns exemplares por um espaço maior.




quarta-feira, 13 de maio de 2015

09 Anos Antes - Curiosidade

Imaginação e Experiência

Desde que encontrei - em 2003 - uma bela Caravan 1986, fiquei imaginando como ela ficaria na "visão 70", minha década favorita do universo Opala.

Meros exercícios de imaginação, afinal,  ela estava com apenas 60.000 km rodados e toda original, característica que pretendia conservar.

Agora (2015 e 35.000km depois), algumas circunstâncias se alinharam e permitiram uma curiosa experiência, tendo as rodas como foco. 

Como ficaria uma Diplomata com "tuning" dos anos 70?


Material: 
Rodas "modelo repolho" - 1977 - alargadas na Avenida Suburbana e montadas com pneus Pirelli P44.

Confiram!


No detalhe, duas constatações: seria interessante um pequeno rebaixamento e necessário o rebatimento dos pára-lamas, para evitar atrito nos pneus "balão".


Que acharam do resultado?

Mas fiquem tranquilos, que a brincadeira é por tempo limitado! 

As rodas modelo "ralinho", opcionais em 1986, estão passando por revitalização - pintura e polimento - e breve voltarão ao local de origem.


Tarefa confiada à irretocável equipe de Massueto, nosso grande e inesquecível amigo, que soube repassar aos assessores seu imenso e inquestionável conhecimento.


Aliás, essa Caravan tem uma história muito interessante, porém, isso é assunto para outra oportunidade.
         

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Retomada de velocidade - Pit Stop Bahia

Prólogo

Depois do Dia 21 de Outubro ...

... 1/2 ano Sabático!

Mas, como "dizia" a revista 4Rodas - referência obrigatória dos apaixonados por automóveis - vamos conferir a "retomada de velocidade": overdrive e pé na tábua!

Três temas - incríveis - já estão no "corte de giro"!

Breve vamos conferir os últimos detalhes - acabamento - no processo de resgate do Opala SS 1977, localizado após 11 anos de hibernação com apenas 34.000Km rodados.

Na "palhinha", uma foto que reúne quatro poderosos símbolos do universo Opaleiro: o Chevrolet cursivo, o Opala com a bandeirinha, as faixas do SS 1977 e as lanternas da segunda geração - compartilhadas pelos icônicos primos Impalas.


Também apresentaremos, em primeira mão, um espaço ímpar, um conceito que deve povoar os sonhos de 100% dos antigomobilistas!

Será uma garagem, um clube, um museu ... ?


Aguardem !

A estrela dessa retomada, que será alinhada com o blog parceiro Opalas SA, é um raro e incrível projeto dos anos 1960, injustamente detonado e cruelmente martirizado em função das "novas" preocupações com a segurança automotiva.

Foco de um livro sobre o tema, conseguiu provar sua inocência com o passar do tempo, porém, não antes de criar a fama - irreversível - de perigo sobre rodas.

O conceito revolucionário, infelizmente, virou apenas história. Seu motor boxer, seis cilindros, também foi vítima dessa implacável desmoralização.

Para comemorar essa reestreia, vamos propor um jogo:

Que carro é esse?


Os acertadores - registrados no espaço para comentários - estarão concorrendo a um belo boné Chevrolet (olhem a dica) e o primeiro que responder terá 3 vezes seu nome na urna do sorteio.

As respostas serão retidas - no espaço de autorização - até o final do prazo (24 horas) para não estragarem a tentativa de outros antigomobilistas.

Valendo e até breve!
     



terça-feira, 21 de outubro de 2014

Diorama no Campo Grande

Diorama e Barn Find

Bastante apreciado por colecionadores de miniaturas, o diorama é uma representação cênica  detalhada, que enriquece muito qualquer exposição ou estante hospedeira!

Tipo maquete, aprimora o contexto e presenteia os observadores com seu belo efeito tridimensional, funcionando especialmente bem para o antigomobilismo - esportivo ou não - de escala. 

Confiram esse exemplo, com a McLaren de Mika Hakinnen, na ambientação de box da Fórmula 1 que inclui armário de ferramentas e equipamento completo para reabastecimento.

Modelo Hot Wheels - Escala 1:24

A escala mencionada representa a relação entre o tamanho original e a miniatura, no caso 24 vezes menor.

Barn Find é praticamente uma instituição antigomobilista. Literalmente "achados nos celeiros", o resgate de antiguidades - muitos anos depois de abandonadas como sucatas - é  o sonho dourado de quase todo colecionador.

Quem nunca ouviu falar de casos semelhantes, reais ou fictícios, que enriquecem as conversas do "universo da ferrugem"?

Muito comum nas fazendas e ranchos dos EUA, principalmente entre exemplares de serviços e bólidos de corrida, os veículos eram "guardados" em celeiros, depósitos e até galinheiros, logo após a "aposentadoria" pelos mais variados motivos.

Mazda abandonado - net

Após o longo tempo de hibernação, que separa as definições de sucata e relíquia, muitas vezes são descobertos, resgatados e restaurados, para a satisfação das novas gerações e apreciadores de saborosas histórias.

Devidamente apresentados, surge a natural curiosidade: como ficaria a mistura dos dois conceitos?

Diorama de Barn Find - Escala 1:18

Incontáveis exemplos podem ser conferidos na internet, porém, aproveitamos recente garimpagem em Salvador para propor uma mistura ainda mais especial:

Que tal um Diorama em Escala 1:1 (tamanho real)?

O palco do desafio será a histórica Praça do Campo Grande, durante o X Encontro Nordeste de Veículos Antigos, organizado pelo Veteran Car Club da Bahia.


Os astros do cenário Barn Find serão o autêntico Opala Stock Car 1985 - parado há mais de 20 anos ...


... e o Bugre Kadron Tropi 1973 - com mais de 30 anos de imobilidade!


Eles dividiam uma mitológica e escondida garagem no bairro de Mussurunga, já exibida em várias postagens e matérias de TV.


A proposta marcará o lançamento oficial da ZZ Garage, conta com a assessoria da F74 Race Custon e apoio do Veteran Bahia e Clube do Opala da Bahia.

Uma "liberdade poética" substituirá o subterrâneo depósito pela ambientação tipo celeiro, visando comemorar - e homenagear - os incansáveis garimpeiros e abnegados colecionadores.

É esperar para ver!


Outdoor do Veteran Car Club da Bahia

#imperdível

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Garimpo (07) - Jeep Kaiser

Wagoneer 1969

Atenção "contaminados" pela ferrugem, uma autêntica joia acaba de surgir no cenário antigomobilista baiano, à espera de uma nova adoção.

Um autêntico Jeep Kaiser, modelo fechado - Wagoneer - de 1969, ainda com placas amarelas.

Para quem não lembra dessa configuração específica, uma foto da internet com exemplar similar.

Modelo similar para ilustração

A descoberta vem de nosso amigo Alexandre Guerra, que agora disponibiliza para possíveis compradores.

Está pintado e necessita de montagem, revisão mecânica e atualização de documentos. O motor e caixa foram herdados de C-10 / 6 cilindros.

Confiram - nas fotos enviadas por Alexandre - alguns detalhes realmente incríveis dessa bela garimpagem.








A pedida está em 10k e, caso alguém se interesse, é só passar uma mensagem com o e-mail que repassamos o telefone de Alexandre.

Para finalizar, uma curiosidade: a pick-up Kaiser foi um das estrelas do filme Twister, sucesso de 1996, que infelizmente é destruída pelo tornado numa das primeiras sequências. Corresponderia às nossas valentes F-75.


       

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Encontro Mensal (01) - Endereço e Algumas Jóias

Novo "Endereço" do Antigomobilismo em Salvador



Até o término das obras de requalificação do Parque da Cidade, endereço tradicional dos Encontros Mensais de Veículos Antigos, a recém inaugurada Praça Ana Lúcia Magalhães será o novo point do Antigomobilismo baiano.


Localizada no fim de linha da Pituba, a renovada  Praça acolheu as relíquias do Veteran Bahia e Convidados e as brindou com uma simultânea e saborosa Feira de Gastronomia.


Um espaço realmente excelente, com incontáveis opções de lazer, alimentação e infraestrutura, que agradou a todos os expositores, familiares e visitantes. 

Tanto que, apesar de ser uma estreia - marcada pela recente divulgação, muito vento, frio e chuva - o número de veículos antigos foi bastante significativo e incluiu até uma bela Caloi 1966.



Confiram agora algumas (lote 01 de 03) dos jóias presentes!















Para quem ainda não conhece a Praça Ana Lúcia Magalhães, um mapa e uma dica: não percam o Encontro de Dezembro!


Lembrando que em novembro estaremos no Encontro Anual de Veículos Antigos, na Praça do Campo Grande, que esse ano também acolherá o Encontro Nordeste.


Aguardem mais algumas fotos do sábado passado -
dia 04 de outubro!